domingo, 4 de janeiro de 2009

Campanha pelo cessarfogo em Gaza e ato em Floripa





Oi, acabamos de tomar conhecimento desta campanha emergencial pedindo o cessar−fogo imediato em Gaza. Trezentas e setenta pessoas já foram mortas nesse conflito em escalada. Chegou a hora de exigir que os líderes mundiais acabem com a espiral da violência que tem caracterizado o conflito entre Israel e Palestina. Em 2009, vamos fazer pressão para que se possa chegar à paz real no conflito entre Israel e Palestina. Para saber mais informações e se mobilizar, leia o e−mail abaixo:


Caros amigos,
Ao observarmos o massacre de Gaza com horror e assustados com a rápida e descontrolada espiral da crise, uma coisa é certa: essa violência só causará mais sofrimento entre os civis e uma escalada do conflito.
É preciso encontrar outra solução. Até agora, mais de 370 pessoas já morreram e outras centenas foram feridas. Pela primeira vez, os mísseis estão atingindo a cidade de Ashdod, no interior de Israel, e ambos os lados do conflito estão se mobilizando para uma invasão. Começou uma reação mundial, mas será preciso mais do que palavras: não haverá o fim da violência imediata, nem a garantia de paz geral sem uma firme mobilização da comunidade internacional.
Estamos lançando hoje uma campanha emergencial que será entregue ao Conselho de Segurança da ONU e às principais potências mundiais, pedindo medidas para garantir o cessar−fogo imediato, atenção à escalada dessa crise humanitária e providências para que se possa chegar à paz real e duradoura na região.1 Siga o link abaixo agora mesmo para assinar o abaixo−assinado emergencial e enviá−lo a todas as pessoas que você conhece:
http://www.avaaz.org/po/gaza_time_for_peace/98.php?cl_tf_sign=1
Após oito ou mais anos de diplomacia americana e internacional sem resultados, que levaram ao dia mais sangrento de Gaza já registrado pela memória recente, precisamos levantar um protesto mundial exigindo que os líderes mundiais façam mais do que emitir declarações, para que possam garantir a paz nessa região. A ONU, a União Européia, a Liga Árabe e os EUA devem agir juntos para garantir um cessar−fogo, inclusive dando fim aos ataques de mísseis em Israel e abrindo os pontos de travessia de fronteiras para obtenção de combustíveis, alimentos, medicamentos e outras remessas de ajuda humanitária.
Com a posse do novo presidente americano em menos de um mês, surge uma oportunidade real de reviver os esforços de paz. As recentes hostilidades exigem não apenas um cessar−fogo imediato, como também um compromisso de Obama e outros líderes mundiais de que a resolução do conflito entre Israel e Palestina terá prioridade máxima em suas agendas. Diante do impacto desse conflito contínuo em todo o mundo, isso é o mínimo que devemos exigir.
Em 2006, fizemos uma mobilização pelo cessar−fogo no Líbano. Durante anos, temos trabalhado por uma paz justa e duradoura, publicando outdoors e anúncios em Israel e na Palestina. Agora, entrando no novo ano de 2009, precisamos nos mobilizar novamente para exigir a resolução pacífica e duradoura do conflito, em vez da escalada da violência. Siga este link para incluir seu nome do pedido de paz:
http://www.avaaz.org/po/gaza_time_for_peace/98.php?cl_tf_sign=1
Todos os lados do conflito continuarão a agir assim como antes se acreditarem que o mundo vai permitir que eles continuem com essa postura sem fazer nada para detê−los. Dois mil e nove será um ano em que as coisas poderão ser diferentes. Diante dessa crise e das possibilidades de um novo ano, é hora de exigir o cessar−fogo e trabalharmos juntos para finalmente dar fim a esse ciclo de violência.
Com esperança e determinação,
Brett, Ricken, Alice, Ben, Pascal, Paul, Graziela, Paula, Luis, Iain e toda a equipe da Avaaz

1 Entre as medidas adicionais possíveis estão: uma resolução formal do Conselho de Segurança em vez da emissão de uma declaração à imprensa, como a de 28 de dezembro de 2008; pressão internacional explícita nas esferas pública e privada para que as partes conflitantes acabem com as hostilidades, inclusive elaborando termos claros para a retomada das negociações )ver também este artigo em inglês: http://www.jpost.com/servlet/Satellite?cid=1230456497503&pagename=JPost/JPArticle/ShowFull(; supervisão internacional da fronteira em Rafah; e, com o tempo, uma resolução detalhada do Conselho de Segurança estabelecendo os termos do direito internacional para a paz permanente entre Israel e a Palestina.
−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−
Comentário de Marcio Vieira:

Haverá um ato de solidariedade ao povo palestino no

centro de Florianópolis na próxima terça.

O ATO SERÁ NA ESQUINA DEMOCRÁTICA –

NESTA TERÇA – (DIA 06/01/2009) às 14:00h.

O local anterior (Conselheiro Mafra) se justificava na perspectiva não confirmada de se fechar o comércio da comunidade árabe local. Portanto, o ato se iniciará na Rua Felipe Schmidt, em frente ao Ponto Chic ( Esquina democrática).

Um comentário:

Marcos Canetta disse...

Boa tarde, Profº Márcio!

Prezado e querido amigo, vejo que seus esforços são sempre em direção ao bem comum e a paz mundial. No entanto quero lhe dizer que esta situação de Israel e Palestina é algo que ultrapassa o limite da racionalidade, pois, iniciou-se de forma brusca e intervencionista, quando criaram um Estado dentro de um outro, em 1947, com anuência da ONU e do descaso das demais lideranças mundiais. São décadas de mortes e ataques constantes de palestinos contra judeus e israelitas. A convivência pacífica é algo do impossível, neste momento porque são gerações nascidas e criadas sob este conflito. Educadas através da cultura do medo, repulsa, ódio e espírito de combate na busca da liberdade territorial de ambos os lados. Assistimos nas últimasa décadas, confortavelmente no interior de nossos lares, a criação de grupos radiciais com vários agentes suicidas, detonando bombas nos próprios corpos no ataque aos supos tos inimigos, de forma tranquila. Hoje vemos que nossa inércia nos levou a um conflito que está atingindo todos nós, mas, principalmente aos nossos filhos que se assustam com o grau de violência e ódio que se manifestam nesta guerra que deveria ser contida a mais de meio século atrás. Quero ainda colocar ao amigo que infelizmente o Regime do Apartheid na África do Sul foi construído no mesmo período, onde milhares de negros e negras foram assassinados, mutilados e desrespeitados em todos os princípios mínimos de humanidade, culminando com a prisão de 28 anos de Nelson Mandela e o assassinato cruel de Steve Biko. O mundo também assistiu a tudo sem comentar, ressalvadas exceções. Vejo que tudo isso Márcio ultrapassou os límites de nossa intervenção humanitária. Espero que o negro Barak Obama possa realmente ser um grande líder mundial e junto com outras lideranças, entre eles o Presidente Lula, possam construir junto a esses povos e a própria ONU, uma saída humana para este conflito que vem matando civis e destruindo o patrimônio público e histórico à décadas. Quero crêr que agora a ONU possa se redimir de seu erro e apresentar uma proposta viável para os dois povos, após tudo isso que poderia ter sido evitado a mais de 50 anos. Márcio veja quanta gente morreu em vão por um erro histórico! Fique em paz e continue sendo quem você é.
Um forte abraço e paz em 2009!!!


Marcos Canetta